Vanessa defende lei mais rígida em casos de estupros em coletivos

Crédito da foto: Agência Senado

A senadora e líder do PCdoB na Casa, Vanessa Grazziotin (AM) comentou sobre os abusos sexuais em transportes públicos e a necessidade de mudar a lei, em entrevista à TV Senado.

Vanessa comenta sobre as denúncias de estupro envolvendo o mesmo agressor em transporte coletivo. No dia 29 de agosto, Cíntia Souza sofreu um abuso sexual por Diego Ferreira de Novais, que ejaculou no pescoço da vítima dentro de um ônibus na Avenida Paulista. Novais foi preso em flagrante, porém foi solto porque o juiz José Eugênio do Amaral entendeu que não houve crime de estupro ou grave ameaça contra a vítima.

“No caso específico que aconteceu em São Paulo, houve muitas críticas em relação a postura do juiz. Ele apenas não se baseou na lei”, declarou a senadora.

Quatro dias depois, Novais atacou outra vítima dentro de um coletivo. Ele foi acusado de esfregar o pênis no ombro da mulher e foi indiciado por estupro. A parlamentar comunista explicou que é necessário mudar a legislação para considerar casos como esses como criminoso, onde a pessoa deva ser tratado como criminoso.

Em entrevista ao Justificando, Cíntia desabafou “Ele usou o meu corpo para o prazer e isso não é justo. Meu corpo é o que? Da parte da polícia e Justiça eu não tive e não estou tendo orientação até agora em relação a hospitais, assistente social e psicólogos”.

Na opinião da senadora é preciso questionar se apenas a prisão resolve o problema, ou serve para recuperar o agressor seja para a reclusão daquele que cometeu um crime ou para tratamentos urgentes quando os casos se fazem necessário.