Centenário: Sessão Especial na Alepa presta homenagem ao PCdoB

Sessão Especial na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (ALEPA) em celebração aos 100 anos do PCdoB | Foto: divulgação/Instagram

O centenário do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) foi celebrado nesta segunda-feira  (11), em Sessão Especial na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa). Na solenidade, estiveram presentes o presidente do partido no Estado, Jorge Panzera,  o ex-deputado estadual e atual presidente da Codem, Lélio Costa, o prefeito Edmilson Rodrigues, o presidente do PT, deputado federal Beto Faro, o presidente do PV Zé Carlos Lima e das lideranças de nosso PCdoB. A programação atendeu o requerimento do presidente do Parlamento Paraense, deputado Chicão.

Fundado em 1922, o PCdoB completou um século de existência no cenário político brasileiro no último dia 25 de março. O partido tem uma trajetória de luta em defesa da democracia, dos trabalhadores e da juventude.

Presidida pela deputada Marinor Brito (Psol), a sessão foi marcada por falas que destacam a importância histórica do partido nas lutas sociais e democracia. “É uma sessão que marca a história de luta em defesa da democracia. E o partido tem uma trajetória marcada pela sua participação, possui uma ligação forte com os movimentos sociais e enfrentou como nunca a violenta fase das torturas, do fechamento do Congresso, da suspensão das eleições durante a ditadura militar”, afirmou.

Marinor também lembrou a contribuição de militantes do PCdoB no período sofrido da Guerrilha do Araguaia para combater a ditadura em busca de um país democrático. “Também foi um dos partidos que mais teve militantes torturados e assassinados. Aqui na Alepa, os deputados Paulo Fonteles, João Batista, Newton Miranda, foram alguns parlamentares que tiveram contribuições importantes e estiveram à frente do processo de redemocratização do Brasil, construindo a tão importante Carta Magna do Pará, que é a nossa Constituição Estadual”, complementou.

A história do partido é parte constitutiva da história do país, com a participação dos mais destacados dirigentes das lutas dos trabalhadores e representantes da intelectualidade e da cultura brasileira, tendo figuras intelectuais como Astrogildo Pereira (um de seus fundadores), Caio Prado Jr., Graciliano Ramos e Mário Schenberg, entre outros, vinculando-se a projetos e perspectivas que tinham nas camadas proletárias o sujeito real da intervenção social.

O presidente estadual do partido, Jorge Panzera, ressaltou alguns acontecimentos relacionados à legenda e à história do país. “Em toda a história o PCdoB tem sua importância de lutas sociais, porque é um partido que sempre esteve inserido nas lutas do povo. Aqui em Belém, no Estado e no Brasil, com a luta pela meia passagem, na década de 80, então é um partido que tem estreita relação com a cidade e com o povo”, relatou.

Em seu pronunciamento, o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, disse que os 100 anos de existência do partido foram de muitas lutas e de resistência à ditadura. “A história do partido é uma história de resistência, dos 100 anos, pelos menos 53 anos são de ditadura. Então a nossa história é que alguns enriquecem nos obrigando a obedecer por medo. Mas mesmo com essa estrutura perversa secular, não impediu as resistências e o PCdoB é exemplo de resistência. No entanto, resistir é necessário para dar um passo ao futuro”, enfatizou.

Em sua representatividade política estadual, o PCdoB participou ao longo de sua longa trajetória com deputados constituintes no Legislativo Paraense, com nomes como Paulo Fonteles, Newton Miranda, Henrique Santiago, João Batista, Sandra Batista, e mais recente com o deputado Lélio Costa.

Para Lélio Costa, ex-deputado estadual pela legenda e atual presidente da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), a homenagem resgata a história do Partido e recupera a memória de lutas em favor da democracia.“É muito importante estar aqui comemorando o centenário do PCdoB. E quero agradecer aos deputados que aprovaram à unanimidade essa sessão em nome do presidente desta Casa, isso demonstra o compromisso com a democracia, que é a história de lutas do partido pela democracia”, disse. Outra militante presente ao evento, foi Sandra Batista, ex-deputada estadual pelo PCdoB. Ela relatou a dura realidade da época e as perseguições sofridas.

“Tive a honra de representar o PCdoB nesta Casa. Na época, lutamos por uma série de reivindicações para a classe trabalhadora. Quando cassaram os nossos mandatos de comunistas, legitimamente eleitos, cassaram o mandato do deputado Henrique Santiago também. E na Guerrilha do Araguaia, não poderia deixar de falar de Paulo Fonteles, que resgatou naquela região a história e deu visibilidade aos camponeses que tiveram suas vidas ceifadas. Enquanto muitos negaram o socialismo, nós reafirmamos”, comentou.

A história de lutas sociais e sindicais, foram lembradas pelo deputado federal Beto Faro (PT). “É um partido que é inserido no movimento sindical e junto com o Partido dos Trabalhadores tem sido parceiro na luta social. Estar aqui comemorando é mostrar que a gente continua nessa luta conjunta”, concluiu.

O evento contou com a presença de representantes sindicais, de partidos políticos, movimentos sociais e estudantis.

Confira as imagens do evento:

 

__
Fonte: Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa)