Centenário: PCdoB é homenageado na Assembleia Legislativa do RS

O centenário do PCdoB foi celebrado nesta terça-feira (29) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, durante o Grande Expediente, por iniciativa do deputado estadual Pepe Vargas (PT). Vereadoras e lideranças comunistas da política e dos movimentos sociais estiveram presentes, homenageando a mais antiga legenda em atividade do país, criada em 25 de março de 1922, na cidade de Niterói.

Pepe Vargas fez um apanhado dos principais fatos que marcaram a trajetória do PCdoB e que se entrelaçam com a história do país. “Da Velha República até 1985, foram apenas dois anos, um mês e 22 dias de atuação legal. Mesmo sendo alvo da perseguição de regimes autoritários, esteve sempre na linha de frente das lutas populares e democráticas”, disse o deputado.

A vereadora de Porto Alegre, Bruna Rodrigues, presidenta municipal do PCdoB, destacou, pelas redes sociais: “Hoje (29) foi tarde de celebrar os 100 anos de amor e coragem pelo Brasil na Assembleia Legislativa. O parlamento gaúcho homenageou o PCdoB durante o Grande Expediente, um momento importante de reafirmar o nosso compromisso com o povo brasileiro e a luta pelo bom e o justo! Viva o PCdoB!”.

Daiana Santos, também vereadora do PCdoB em Porto Alegre, colocou: “acabei de participar do Grande Expediente em Homenagem ao Centenário do PCdoB na Assembleia Legislativa do Estado, que proporcionou belíssimos encontros. Viva o Partido Comunista do Brasil”.

Presidente estadual do partido e ex-deputado, Juliano Roso agradeceu pela iniciativa: “Obrigado pela sessão deputado Pepe Vargas! Parabéns a nossa militância que lotou as galerias!”.

Entre as lideranças presentes à homenagem estavam, entre outros, o ex-deputado federal Assis Melo; os ex-deputados estaduais Jussara Cony e Raul Carrion; a ex-secretária estadual de Turismo, Abigail Pereira e o presidente da CTB-RS, Guiomar Vidor.

Homenagem na Câmara de Porto Alegre

O PCdoB também foi homenageado na Câmara Municipal de Porto Alegre, em sessão solene realizada no dia 22, com a presença das vereadoras comunistas e lideranças políticas e dos movimentos sociais.

Na ocasião, a ex-deputada Jussara Cony foi convidada a ocupar a tribuna e contar um pouco dessa bela história. “Há muito mais que o tempo não nos permitirá discorrer. Mas o Brasil conhece a história do PCdoB! Onde somos movidos por amor e coragem pelo Brasil. Essa é uma forte marca de nossos 100 anos – a de um partido que é centenário e contemporâneo!”, destacou Jussara.

Leia a íntegra do discurso feito por ela na Câmara Municipal de Porto Alegre:

“Emoção e honra, em simbiose com amor revolucionário são meus sentimentos de gratidão ao meu Partido por ter sido designada de aqui estar, de novo, nesta Tribuna onde muitos de nós, comunistas, estivemos ao longo do processo histórico. Os primeiros, quando ainda o partido na ilegalidade, honra e gratidão a Julieta Batistiolli e ao operário metalúrgico Eloy Martins. A Manu e a Raul Carrion e, hoje, a duas mulheres, saídas do ventre da luta das mulheres e do povo.
Revolucionárias Mulheres Negras, Bruninha e Daiana! Que nos impulsionam, emocionam e ensinam.

Dizer do nosso Partido é comungar e reverenciar a luta do povo brasileiro e, de forma destacada, das mulheres. Assim, agradeço esse momento a cada militante, a cada dirigente do Partido, aos amigos e amigas presentes, aos trabalhadores desta Casa Legislativa. E agradeço a honra que sinto por ter sido designada a representar nosso centenário partido, através da frase de Che Guevara: “O verdadeiro revolucionário é movido por grandes sentimentos de amor”. As verdadeiras revolucionárias também.

Sim, revolucionário amor, pois ele é o esteio da universalidade contida na cotidiana construção de uma nova e promissora sociedade pela qual os comunistas, há 100 anos, se dedicam: a sociedade socialista.
Assim, nosso agradecimento a esta Casa, por este momento. Casa onde estivemos, estamos e estaremos, pois o povo de Porto Alegre sempre faz justiça a milhares de comunistas gaúchos e brasileiros, homens e mulheres, que deram suas vidas por direitos, democracia, liberdade, soberania e emancipação! E, ao assim afirmar, quero fazer neste momento uma ligação histórica por ser parte da caminhada do PCdoB e das forças populares e democráticas. Cem anos do PCdoB e noventa anos da conquista do voto feminino. O direito ao voto, com significado que nosso partido dá a mais e mais mulheres nos espaços de poder político – para que esta Nação entenda que a medida da emancipação de uma sociedade e da humanidade passa pela emancipação de suas mulheres. Bruna a Daiana aqui, dão essa dimensão!

Mas fazer um balanço desse nosso chegar aos 100 anos é caminhar, pari-passo, com a História do nosso país. E a participação de amor e coragem, como nos afirmou Luciana Santos, Presidenta Nacional do Partido! E quando lembrou que nosso slogan sintetiza esse século de vida do Partido, lado a lado com o povo, os democratas, os que pensam como nós, estrategicamente, o Brasil e tendo o Socialismo como perspectiva: “Assim, aqui estamos para Florescer a Esperança”!
Não sozinhos, mas com muitos que assim comungam e são partícipes das transformações de fundo que o Brasil precisa. As presenças queridas de Pedro Ruas, do PSol e de Maria Celeste, do PT, são exemplos vivos e militantes desse andar junto a transformar.

Precisamos ser, todos e todas, fortalezas na construção de um mundo de igualdade de direitos, liberdades democráticas e de Paz!
Atravessamos, nesses 100 anos, muitas lutas! Honra e glória a todos os que aqui se perfilaram, em nome de um homem e de duas mulheres: João Amazonas e Elza Monerat. E nossa amada e inesquecível Maria Trindade, sobrevivente da Chacina da Lapa.

Nossa luta contra a Ditadura Militar e pela Redemocratização do País, período em que conquistamos, com brava e combativa militância e articulação política no campo democrático e popular, nossa legalidade.
Na Guerrilha do Araguaia, em Resistência, onde tantos foram torturados e assassinados pelos algozes da luta popular. Homenagem aos gaúchos João Carlos Haas Sobrinho, Cilon Cunha Brum, Luiz Huberto Bronca e Paulo Mendes Rodrigues.

Contra o irresponsável golpe à primeira mulher Presidenta deste país, nossa querida companheira e amiga Dilma Rousseff.

Há muito mais que o tempo não nos permitirá discorrer. Mas o Brasil conhece a história do PCdoB! Onde somos movidos por amor e coragem pelo Brasil. Essa é uma forte marca de nossos 100 anos – a de um partido que é centenário e contemporâneo!

Ao finalizar e a agradecer esse momento, essa Homenagem da Câmara Municipal de Porto Alegre ao PCdoB, aqui estamos movidos e marcados por alegria e esperança pois aqui, os e as comunistas sempre chegaram mantendo a coerência desses 100 anos de existência, ligados à luta do povo dessa cidade. De nossa Porto Alegre.
E dessa tribuna, a mesma de onde, na década de 80, em nosso primeiro mandato nesta Casa, na luta pela legalidade do Partido, constituímos – pela vez primeira – a Bancada Comunista na Casa do Povo de Porto Alegre. Assim, nessa comemoração de hoje, nosso Partido reverencia a todos e todas que tombaram na luta por liberdade! Honra, glória, gratidão, amor e saudades!

E, aos que continuam, coragem e revolucionário amor, atuando em todos os espaços e momentos onde luta houver para contribuir com o fazer avançar a consciência libertadora do povo, pois dele somos parte, mulheres e homens de todas as gerações:dos ancestrais aos que continuam a chegar, com o calor e a alegria de uma juventude socialista!

Pois vivemos nesse momento, em nosso país, dificuldades enormes pela retirada de direitos, de atraso e de desrespeito às históricas conquistas por vida, trabalho, saúde, educação, cultura, desenvolvimento econômico e social – que significam a garantia de cidadania coletiva. E nosso país, para nós, é mais do quer qualquer tentativa de sua destruição! Que ocorre, por exemplo, quando o estado de afasta de suas obrigações constitucionais – oportuno lembrar, conquistadas com a luta popular na histórica jornada da Assembleia Nacional Constituinte e na Constituição de 1988. Lembrar aqui, a figura ímpar e lutadora de Haroldo Lima! E, também, de que o afastamento do estado na vivência de uma Pandemia, levou a mortes que seriam evitáveis, por um governo genocida e desprovido de responsabilidade. Ao mesmo tempo que temos de dizer do significado de nosso SUS, construído com a participação estratégica dos comunistas e em gratidão aos seus trabalhadores e trabalhadoras, cuja maioria são mulheres!

Finalizo afirmando! Marcamos esses 100 anos com alegria, coragem, unidade, dedicação, amplitude e amor. E, com a Unidade das Forças Populares e Democráticas, vamos comemorar essa quadra histórica da vida de nosso partido, no Festival Vermelho, nos dias 25 e 26 de março, em Niterói, RJ, lugar onde nasceu o PCdoB!

Com o Florescer da Esperança em nosso Brasil!
Com a alegria de mulheres e homens que lutam em nosso Partido mas, também, em outros Partidos e nos movimentos sociais e populares, por um Mundo justo, igualitário e socialista.

Finalizo afirmando que sempre sou grata e esse é um momento de gratidão, de ter pautado minha vida no seio de uma família comunista e nas fileiras militantes do Partido Comunista do Brasil – amoroso e revolucionário!

Cada um de nós é um fragmento da história de amor a Porto Alegre, ao Rio Grande do Sul e ao Brasil, às nossas origens e ao socialismo!

E, em assim sendo,
Fora Bolsonaro de nosso país!
Construção da Frente Ampla em Defesa e pela Reconstrução do Brasil!
Honra e gloria aos 100 anos do PCdoB!
Viva o Socialismo!
Com a poesia que, amorosamente ofereço ao Partido, a cada militante, às mulheres e ao povo brasileiro!

“Aos que não desistem”
Aos que não desistem
Do amor, da luta, da labuta!
Aos que não desistem
Da ternura e daquela solidariedade!
Incessante e itinerante!
Aos que não desistem
Da beleza contida
Na verdade, na unidade, na liberdade!
Aos que não desistem
Da construção dessa Nação,
Na pampa, nas florestas, no sertão!
Aos que não desistem
Da noite, da madrugada, do amanhecer!
Aquele novo dia de retomar
Diretos, Afetos e a sempre sonhada Democracia!
Antes que tarde!
Pois soa o alarde
E o toque de avançar!
Aos que não desistem
De lutar, unir, resistir e libertar!
No andar certeiro!
Nenhum passo atrás,
Nenhuma estagnação.
Um só coração!
Organizar, unir, ampliar!
Resistir,
Avançar,
Esperançar,
Revolucionar”

 

Por Priscila Lobregatte

Fotos: Maiara Silveira  e Paulo Garcia