Centenário: Festival Vermelho tem início nesta sexta (25)

Direção Nacional do PCdoB presente ao Festival Vermelho l Foto: Bruno Bou Haya

Há exatamente um século, o Brasil vivia acontecimentos emblemáticos da sua história. O primeiro centenário da sua independência, a Semana de Arte Moderna e a chegada de novas lutas com a fundação do Partido Comunista do Brasil (a sigla à época era PCB), no dia 25 de março de 1922.

Celebrando agora os 100 anos desse marco, a cidade de Niterói recebe, nos a partir desta sexta-feira (25) o “Festival Vermelho – Floresce a Esperança”, realizado pela Fundação Maurício Grabois (FMG) e com o apoio do próprio PCdoB.

O Festival Vermelho – Floresce a Esperança” é uma festa inspirada em festivais internacionais como a Festa do Avante, do PCP, em Portugal, e a Festa do  l’Humanité, do PCF, na França. No comunicado em que anunciou o evento, o PCdoB informa que “o Festival Vermelho terá uma programação diversa, com shows, debates, feira de produtos culturais e gastronômicos, expressões da pluralidade cultural brasileira. Também haverá grande ato político e cerimônia de comemoração dos 100 anos do Partido Comunista do Brasil, com a presença de importantes lideranças políticas nacionais e internacionais.” Além de toda esta programação, que será gratuita, a cidade de Niterói oferecerá também agenda cultural paralela, de grande densidade artística e cultural, alusiva ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.

Todo o Festival acontece no Caminho Niemeyer, um conjunto de equipamentos culturais projetados pelo arquiteto comunista Oscar Niemeyer ao longo da orla de Niterói. As atividades, para todos os públicos, acontecem presencialmente, mas também contam com participações on-line, atividades em formato híbrido e transmissões ao vivo.

Para a coordenadora do evento, deputada federal Jandira Feghali “o Festival Vermelho será a celebração nacional do centenário do PCdoB, com muita densidade, com diversidade, com a rica expressão de nossas artes”. A parlamentar comunista acrescenta ainda que “o festival será um momento muito determinante em nossa história. Ao lado das celebrações regionais, o festival vai desdobrar em várias atividades.”

O Festival terá mais de 30 horas de programação, o acesso será gratuito e tem início às 15h da sexta-feira.

O Festival Vermelho reúne diversas lideranças políticas progressistas e democráticas. O ex-presidente Lula, que receberá o apoio oficial do partido, o ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, a presidenta do PCdoB, Luciana Santos, a ex-deputada Manuela D’ávila, a vereador e escritora Cida Pedrosa e o prefeito de Niterói Axel Grael são presenças asseguradas. Entre os temas dos debates estão a conjuntura nacional e a frente ampla em 2022, o desafio das fake news e a comunicação no país atualmente, o cenário internacional, o meio ambiente e políticas culturais.

Já entre influenciadores, jornalistas e intelectuais, o Festival Vermelho terá a presença de figuras como o jornalista Leandro Demori, do The Intercept Brasil; a pró-reitora de Extensão da UFRJ Ivana Bentes; o professor da UFABC, Sérgio Amadeu, Susy Santos, da Escola de Comunicação da UFRJ, e o ativista Talles Lopes, da Mídia Ninja. Haverá lançamentos de livros, exposição multimídia, mostra de cinema, cortejos e intervenções culturais ao longo da programação.

Shows Gratuitos

O Festival Vermelho reunirá caravanas de todo o país, além do público de Niterói e do Rio de Janeiro para também acompanharem grandes shows gratuitos no Palco Praça do Povo. Na sexta-feira (25), a noite terá como destaque a MPB de Zélia Duncan, a mistura rock e latina do Francisco El Hombre, o rap e balanço de BNegão e a alegria de Mart’nália. No sábado (26) o samba toma conta com as majestades de Leci Brandão, Moacyr Luz e o Samba do Trabalhador, Moyseis Marques, Candongueiro e Mulheres na Roda de Samba de Niterói. A música também não para no Palco Mel Gomes, na Arena Brasil. Entre as atrações estão Sinfônica Ambulante, Afoxé Filhos de Gandhi, Trio de Forró Rapacuia, Jongo da Serrinha, Roda de Rimas e de Choro.

Arena Brasil

Uma rede presencial de ideias, produtos, colaborações, trocas de experiências e convívio durante a programação do Festival Vermelho. Essa será a Arena Brasil, montada no foyer inferior do Teatro Popular Oscar Niemeyer, junto ao Palco Mel Gomes. Lá estarão montados estandes de livros com temas da esquerda e da cultura nacional, produtos personalizados de lojas voltadas à promoção do socialismo, além do espaço de trabalho da cobertura colaborativa do evento, reunindo jornalistas, fotógrafos e midialivristas.

Feira De Gastronomia

Para representar a pluralidade das expressões culturais de cada região do Brasil, o Festival Vermelho terá uma feira gastronômica diversa, com os diferentes pratos dos estados brasileiros em preços acessíveis. A feira de gastronomia do evento será um local para confraternização, trocas de sabores e afetos, conversas e reflexões em meio às atividades do evento.

Espaço Criança

O Festival Vermelho tem atração para todas as idades! Durante os dois dias da programação, os pequenos e as pequenas terão programação própria no Espaço Criança. As atividades incluem contação de histórias, teatro, circo e recreação, brincantes e brincadeiras ocupando a área verde do Caminho Niemeyer.

Economia Solidária

O espaço da Economia Solidária do Festival Vermelho é construído junto a movimentos sociais, cooperativas, associações, grupos populares que comercializam seus produtos para o fortalecimento de suas lutas e comunidades. Dessa forma, o público poderá consumir uma diversidade de itens e produtos que contribuem com diferentes causas populares, fortalecendo a rede da economia criativa, popular e a sustentabilidade.

Confira a programação completa aqui. 
__
Com informações da Ascom do Festival