Centenário: Festival Vermelho foi potente, lindo, efusivo e politizado

O secretário nacional de Cultura do PCdoB, Javier Alfaya, comemorou o sucesso do Festival Vermelho, que celebrou, no último final de semana, em Niterói (RJ), os 100 anos de fundação do Partido (1922-2022). Para ele, o evento promoveu uma pertinente mistura entre arte, reflexão e ação, e, por isso mesmo, foi ‘potente, lindo, efusivo e politizado’.

Na opinião do secretário, o sucesso foi tão grande, que, mesmo passado o aniversário do PCdoB, a festa organizada pelos/pelas comunistas precisa permanecer no calendário nacional de atividades culturais, como uma contribuição ao Brasil. “O Festival Vermelho veio para ficar! É patrimônio permanente do partido e do povo brasileiro!”, defendeu.

Javier ainda fez um reconhecimento ao trabalho realizado pela organização da festa. “Parabéns aos organizadores diretos, e a todas  (os) dirigentes partidários que se envolveram, como as secretarias de Planejamento, de Organização, de Formação,  Finanças, as vice presidências e, destacadamente, a Fundação Maurício Grabois”, disse o dirigente.

O ‘Festiva Vermelho – Floresce a esperança’ aconteceu nos dias 25 e 26, no Caminho Niemeyer, um conjunto de equipamentos culturais projetados pelo arquiteto comunista Oscar Niemeyer ao longo da orla de Niterói, município de fundação do PCdoB. Na ocasião, foi promovida uma programação gratuita de mais de 30h, entre shows, debates, lançamentos de livros e filmes e feira de produtos culturais e gastronômicos.

Entre os diversos convidados, esteve o ex-presidente Lula, que teve confirmado o apoio do PCdoB para a sua pré-candidatura à presidência da República, nas eleições deste ano. Entre os artistas, apresentaram-se Zélia Duncan, Francisco El Hombre, BNegão, Mart’nália, Leci Brandão, entre outros.
__

PCdoB da Bahia