Centenário: Festa dos 100 anos do PCdoB contará com caravana de MG

Na imagem, comunistas mineiros em “carnaval” pela legalidade do partido, em 1986 | Foto: Reprodução

Em 1922, um grupo de pessoas que saiu de Juiz de Fora para participar da criação do Partido Comunista do Brasil não conseguiu chegar a tempo a Niterói. Nesta sexta-feira, uma caravana reunindo mais de 50 comunistas de várias regiões de Minas vai resgatar aquele momento ao partir de Belo Horizonte para a cidade do Estado do Rio, onde uma grande festa vai celebrar os 100 anos do PCdoB entre esta sexta-feira e domingo.

O Festival Vermelho contará com mais de 20 atrações gratuitas, ao reunir diversos músicos representantes de várias tendências musicais, como forró, MPB, samba, afoxé, música eletrônica, rap e muito mais em dois palcos no Caminho Niemeyer. Realizado pelo PCdoB e pela Fundação Maurício Grabois, o evento contará ainda com a presença do ex-presidente Luiz Inácio da Silva e mostras de cinema, lançamento de livros, debates, feira gastronômica etc.

O PCdoB está completando 100 anos e também tem muito o que comemorar em Minas, onde possui uma história marcante em diversos setores, como na política e nas lutas populares e sindicais do estado. Vale lembrar que o partido elegeu em Campo Florido a primeira mulher a ocupar o cargo de vereadora em Minas. Lucília Soares Rosa tomou posse em 9 de dezembro de 1947 na cidade do Triângulo Mineiro.

Vale ainda lembrar que em 1984 o então presidente do partido, João Amazonas, fez questão de vir a Belo Horizonte para pedir pessoalmente a Tancredo Neves que disputasse a presidência da República no Colégio Eleitoral, onde acabou eleito.

No parlamento, já contou ainda com a importante atuação dos deputados federais Sérgio Miranda, Jô Morais, José Luiz Guedes e Wadson Ribeiro, enquanto na Assembléia Legislativa o deputado Celinho do Sinttrocel representa o partido há três mandatos. Na Câmara dos Vereadores de Belo Horizonte teve a importante atuação de Gilson Reis e Paulo Augusto dos Santos, o Paulão, o mesmo ocorrendo em inúmeras cidades do interior do estado. No Executivo, marcou presença nas prefeituras de Contagem, na Grande-BH, e Cataguases, na Zona da Mata, entre outras cidades mineiras.

Também é marcante a presença do partido no meio sindical, onde teve o médico e ex-prefeito de Belo Horizonte, Célio de Castro, à frente do Sindicato dos Médicos, além de entidades como o Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, Sindicato dos Professores do Estado de MG-Sinpro e Sindicato dos Jornalistas Profissionais, entre outros. No meio sindical, o PCdoB teve também importante participação na articulação da histórica greve dos mineiros da Morro Velho em Nova Lima, na Grande BH, em 1953.

Ao longo dos anos, o PCdoB vem mantendo também importante presença entre a juventude mineira, com destaque para a sua participação na União Nacional dos Estudantes, A UNE, na União dos Estudantes do Estado de MG, a UEE-MG e na União Municipal dos Estudantes Secundaristas, a UMES.

No movimento popular o partido teve ainda destaque no Movimento Contra a Carestia, durante a ditadura, na luta das mulheres por seus direitos através da União Brasileira de Mulheres, e no movimento por moradia, principalmente no bairro Taquaril, na região Leste de Belo Horizonte, onde acabou elegendo Paulão, uma liderança comunitária, à Câmara Municipal da capital mineira. Uma representante do PCdoB, a falecida Dalva Stela Rodrigues, também esteve à frente da Federação das Associações de Moradores de Belo Horizonte, a FAMOBH.

Neste março de 2022, sob a condução de um juiz-forano, Wadson Ribeiro, presidente estadual do PCdoB, iremos fazer o trajeto que há 100 anos nossa delegação não conseguiu cumprir e participar, na mesma Niterói, das comemorações de nosso centenário.

__
Fonte: PCdoB de Minas Gerais