Centenário: encontro aprova Planejamento em São Paulo

O PCdoB São Paulo (SP) realizou neste sábado (19) o Encontro Municipal Vital Nolasco, no Sindicato dos Eletricitários, no bairro da Liberdade. Além de celebrar o centenário da fundação do Partido Comunista do Brasil, a atividade homenageou ao líder operário, ex-vereador e histórico militante Vital Nolasco (1946-2022). Os participantes – dirigentes partidários municipais, distritais e de categoria – também aprovaram o Planejamento do PCdoB São Paulo para o biênio 2022-2023.

Sob a coordenação do presidente municipal do Partido, Alcides Amazonas, um ato político abriu o Encontro. “Neste mês, o PCdoB completa cem anos de existência. Em março de 1922, na cidade de Niterói, alguns operários e intelectuais fundaram nosso Partido”, afirmou Amazonas. “É um grande orgulho ajudar a construir essa história. Ao longo desses cem anos, não houve uma única luta importante em nosso país em que as bandeiras do PCdoB deixaram de tremular.”

Entre os momentos marcantes dos comunistas no Brasil, Amazonas citou a luta pela emancipação das mulheres, a campanha “O Petróleo É Nosso”, a guerrilha do Araguaia, a resistência à ditadura militar, a redemocratização, a Constituição de 1988 e o “Fora Collor”. O desafio hoje, segundo o presidente do PCdoB São Paulo, é derrotar o governo Jair Bolsonaro e reverter “essa tragédia social”, de desemprego, fome e exclusão social. “Precisamos levar às ruas, como fizemos nos anos 1970, uma grande campanha contra a carestia e de enfrentamento a este governo que tanto mal faz ao nosso País.”

“Revigorar o Partido”

Por vídeo, a presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, mandou uma saudação aos participantes. “Para mim, é uma honra e um prazer maior ainda estar nesta data das festividades que o Comitê Municipal de São Paulo está realizando. Tenho a certeza de que vocês farão um belo Encontro de debates de ideias e afirmação de nossas perspectivas”, afirmou Luciana. A dirigente – que também é vice-governadora de Pernambuco – elogiou a homenagem a Vital. “Mais do que nunca, é o momento de reverenciar nossos lutadores que deram a vida pela causa do socialismo.”

Na opinião da deputada estadual Leci Brandão (PCdoB-SP), o momento é favorável para os comunistas. “O PCdoB está em festa. O PCdoB voltou a ter sorriso no rosto e brilho no olhar porque as coisas estão mudando”, avaliou Leci, elogiando a federação entre PCdoB, PT e PV. “Tenho muito orgulho de estar num partido que defende o povo negro, as mulheres, a minha religião e as outras também, os LGBTs e o povo brasileiro. O PCdoB defende gente!”

Representando o Comitê Central do PCdoB, Nádia Campeão, secretária nacional de Organização do Partido, afirmou que o centenário do Partido é “um momento muito especial”, na medida em que é “um ano de afirmação do PCdoB”.  Ele convidou a militância de São Paulo a participar do Festival Vermelho, o principal evento na celebração dos cem anos do PCdoB, que ocorrerá em Niterói (RJ), nos próximos dias 25 e 26 de março. “Será a nossa comemoração nacional, com cultura, política e encontro de pessoas do campo socialista, progressista e democrático.”

Para Nádia, os comunistas jamais podem se contentar com sua situação momentânea. “Nosso desafio, conforme decidiu nosso 15º Congresso, é revigorar o Partido. Temos de jogar um papel sempre maior na luta transformadora do povo brasileiro”, afirmou a dirigente comunista. “É preciso lutar, crescer e organizar o nosso partido nas bases populares – entre trabalhadores, mulheres, negros, juventude e todas as representações do povo brasileiro. É uma ideia-força para além do centenário!”

Orlando, Leci e Isa, as prioridades

O presidente estadual do PCdoB-SP, Rovilson Britto, frisou a tática eleitoral do Partido para as eleições 2022. Segundo ele, a prioridade neste pleito é a reeleição do deputado federal Orlando Silva e da deputada estadual Leci Brandão, além da eleição à Câmara Federal da deputada estadual Isa Penna, recém-filiada ao PCdoB. Outros comunistas presentes ao Encontro, como Carina Vitral, Mariana Moura, Antônio Pedro (o “Tonhão”) e Keila Pereira, anunciaram suas pré-candidaturas à Assembleia Legislativa de São Paulo.

O ato político do Encontro contou com a participação das legendas que, ao lado do PCdoB, formaram a principal federação partidária da esquerda brasileira nos próximos quatro anos. “Estar no encontro de um partido com o tamanho dessa história é realmente uma coisa confortante. O PV, vindo para essa federação, começa a encontrar seu rumo e seu destino”, declarou Vitor Brito França, secretário de Organização do PV São Paulo.

Já Laércio Ribeiro, presidente do Diretório Municipal do PT São Paulo, lembrou a histórica aliança entre petistas e comunistas, iniciada nas eleições municipais de 1988. Desta vez, para além das tradicionais coligações eleitorais, PT e PCdoB marcharão unidos numa federação partidária, para lutar pela volta de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência e “devolver o Brasil” ao povo brasileiro. “Vamos dizer às futuras gerações que, nesta batalha, fomos vitoriosos no ano do centenário do PCdoB. Estaremos juntos e venceremos”.

Representantes de outros partidos mandaram mensagens de saudação ao PCdoB. Foi o caso do vereador paulistano Eliseu Gabriel (PSB) e do presidente municipal do Cidadania, Carlos Eduardo.

Planejamento

Na parte da tarde, os participantes do Encontro discutiram o Planejamento do PCdoB São Paulo para 2022-2023. A proposta-base, elaborada pela Comissão Executiva do Partido, foi apresentada ao plenário por Altair Freitas, secretário municipal de Organização. Além das diretrizes gerais para a atuação partidária, com foco nas eleições 2022, o Plano prevê ações de todas as secretarias.

O Encontro aprovou, ainda, as novas comissões auxiliares do PCdoB São Paulo, nas áreas de Organização, Finanças, Formação, Comunicação, Sindical, Mulheres, Combate ao Racismo, Juventude e Cultura. Cada comissão será coordenada pelo secretário responsáveis pela pasta. Mais de 60 membros da direção municipal foram integrados em ao menos uma comissão.

Veja imagens abaixo:

 

Por André Cintra