Centenário: Assembleia homenageia 100 anos do PCdoB em Santa Catarina

A solenidade foi realizada no plenário Deputado Osni Régis, no Palácio Barriga Verde | Foto: reprodução/Instagram

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina promoveu na noite desta segunda-feira (11), uma sessão especial para homenagear a passagem dos 100 anos de fundação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB). Na ocasião também foram destacadas as personalidades e instituições que se destacaram no desenvolvimento do partido em Santa Catarina e na luta pela democracia no país.

Na abertura, o presidente do Parlamento estadual, deputado Moacir Sopelsa (MDB), afirmou que a solenidade foi convocada por proposição da Mesa Diretora, a pedido do deputado Padre Pedro Baldissera (PT), que não conseguiu estar presente em função do falecimento da sua mãe.

Ele falou ainda da importância da diversidade partidária existente no Brasil. “Quero dizer do respeito que tenho a todos os partidos políticos, que são necessários em todas as instâncias. E em todos os partidos políticos, em sua grande maioria, há pessoas boas, pessoas que se dedicam à população, e pessoas que querem sempre fazer uma vida melhor para os nossos semelhantes.”

O presidente estadual do PCdoB em Santa Catarina, Douglas Sebastião Espindola Mattos, que também atua como membro da direção nacional do partido, agradeceu a realização do evento. “O reconhecimento de uma instituição como a Assembleia Legislativa é o reconhecimento da democracia, afinal de contas estamos legalizados, podemos viver esses ares. Então esse é o sentido para nós, de reconhecimento. Somos muito felizes por isso”, disse.

João Ghizoni, que falou em nome dos homenageados, afirmou que o PCdoB é considerado a mais antiga instituição partidária ainda em atividade no Brasil, tendo sido fundado oficialmente no dia 25 de março de 1922, na cidade de Niterói (RJ).

O dirigente, que por 20 anos comandou o partido no estado e atualmente integra a direção estadual da agremiação, observou que apesar dos seus 100 anos de história, o Partido Comunista do Brasil passou 60 anos na clandestinidade em razão das perseguições sofridas nos períodos do Estado Novo e da ditadura militar. Ele ressaltou, entretanto, que nem isso impediu que seus integrantes mantivessem a atuação junto à sociedade. “O PCdoB é um partido que tem uma história muito rica, com muitos mártires que tombaram na luta pela democracia no nosso país, em defesa dos trabalhadores. Então eu agradeço a homenagem que a Assembleia Legislativa de Santa Catarina presta ao Partido Comunista do Brasil.”

Secretário Nacional de Organização do PCdoB, Márcio Afonso Cabreira, falou sobre as diretrizes programáticas que orientam a atuação do partido atualmente. ”Somos um partido que busca se organizar a partir do campo progressista, hoje absolutamente indispensável, no nosso ponto de vista, para que possamos trazer ao Brasil padrões de discussão democrática e civilizatória que levem em conta a situação econômica e a situação que ainda vivemos da pandemia de Covid-19. E também para que possamos proporcionar ao nosso povo dias melhores, justiça, paz, e soberania para o Brasil.”

Homenageados:

Divo Guisoni e Raquel Felau Guisoni;
Angela Albino;
Cesar Antonio Valduga;
Clair Castilhos;
João Ghizoni;
Jucelio Paladini;
Douglas Sebastião Espindola Mattos;
Giovana Mondardo;
Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB);
União da Juventude Socialista (UJS);
União Brasileira de Mulheres (UBM);
União de Negros e Negras pelo Brasil (Unegro);
União Nacional LGBT – UNA.

Confira fotos da sessão abaixo:

Fotos acima: Vicente Schmitt / Agência AL

(Foto: Divulgação/Instagram)

__
Fonte: Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc)