PCdoB reverencia Leonel Brizola, "insigne democrata e patriota"

O Partido Comunista do Brasil recebeu com pesar, no transcurso de reunião de sua Comissão Política Nacional, a notícia do falecimento de Leonel de Moura Brizola. Inclina sua bandeira, em sinal de luto e em reverência à memória desse insigne democrata e patriota.

Brizola foi um desses políticos brasileiros que marcam época, pela dedicação à causa pública, o compromisso com os ideais maiores da nação, e profunda vocação para interpretar situações e anseios dos momentos definidores de rumos. É dessa estirpe de políticos que certamente motivam polêmicas, mas cuja mensagem nunca se pode deixar de levar em conta, pois que homem da grande política, a política feita com paixão, com profunda consciência patriótica, corajoso e audaz na defesa de suas idéias, tribuno de raro talento.

Provindo de origem humilde, incansável no esforço de auto-formação, de mãos limpas após décadas de vida pública – desde vereador, deputado, governador de seu estado natal, e por duas vezes do Rio de Janeiro – Brizola foi um democrata avançado. Sua atitude na mobilização da Campanha da Legalidade em 1961, à frente então do governo do Rio Grande do Sul, colocou a defesa da democracia nas mãos das massas populares, e com isso contribuiu para o amadurecimento da consciência cívica que retardou a tentativa do golpe militar de 1964.

Retornado do exílio, surpreendeu a ditadura com retumbante vitória eleitoral ao governo do Rio de Janeiro, em 1982, logo se pondo à cabeça do formidável movimento das Diretas Já, que mobilizou a nação e, afinal, conduziu à derrocada do regime militar.

À frente de seu Partido Democrático Trabalhista, Brizola interpretou sentimentos profundos da nacionalidade, dando voz e guarida à questão negra e indígena, elegendo inclusive o primeiro índio deputado federal. Como administrador, teve o mérito de sublinhar a importância da educação pública como fator estratégico.

Brizola cultivou coerentemente o melhor do legado de Getúlio Vargas, de nacionalismo conseqüente e avançado, antiimperialista, de afirmação da nação brasileira perante o mundo. Por todo esse legado de vida pública, Leonel de Moura Brizola se inscreve no panteão das grandes e inolvidáveis figuras do mundo político brasileiro. Sua memória merece a homenagem de todos aqueles que, mesmo em campos diferenciados, compreendem que a Política – no sentido elevado e autêntico do termo – é a grande arma de emancipação dos brasileiros, rumo ao destino de liberdade, justiça social e soberania nacional. É a última lembrança e depoimento que deixam os comunistas brasileiros.

São Paulo, noite de 21 de junho de 2004.
A Comissão Política Nacional do PCdoB