Moção de repúdio à Vale e de solidariedade às vítimas de Brumadinho

Moção aprovada pelo Comitê Central, São Paulo, 16 de março de 2019.

Moção de repúdio à Vale e de solidariedade às vítimas de Brumadinho (MG)

O Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) expressa seu profundo pesar pelas vítimas do crime social e ambiental praticado pela Companhia Vale do Rio Doce na sua unidade em Brumadinho, estado de Minas Gerais. As vítimas são, em sua grande maioria, trabalhadores que com seu suor garantiam os lucros exorbitantes dos acionistas.

O complexo minerário do Brasil passa por permanentes ajustes, condicionados pelo mercado local e internacional. A ruptura da barragem da Companhia Vale do Rio Doce expôs a fragilidade e contradições de todo o ciclo de exploração, comercialização, tributação e relações humanas e ambientais do setor.

O ocorrido não pode ser tratado apenas como crime ambiental e, sim, como um crime de grandes proporções contra o trabalho, uma tragédia cometida pela ganância do capital. Esses crimes sociais e ambientais são consequência do processo de privatização pelo qual passou a Vale há mais de 20 anos. Chama a atenção que, depois de privatizada — a Companhia foi estatal por 55 anos (1942-1997) —, a Vale cometeu dois grandes crimes dessa natureza, num curto espaço de tempo: primeiro em Mariana, em novembro de 2015, e agora em Brumadinho.

Privatizada, a Companhia virou uma mera exportadora de produto primário, como minério bruto, sem nenhum compromisso com o desenvolvimento, nem com os brasileiros. É fundamental que os responsáveis pela tragédia sejam processados e punidos. E que o ocorrido em Brumadinho desperte um movimento de denúncia contra as privatizações.

Empresas públicas, principalmente as estratégicas, como a Vale, que detém a exploração do nosso subsolo, devem estar a serviço de um projeto de desenvolvimento nacional e do povo brasileiro.

O PCdoB manifesta sua solidariedade e pesar aos familiares das vítimas, trabalhadores e moradores da região atingida. São mães, pais, irmãos, irmãs, esposas, esposos e demais parentes que vertem suas lágrimas pela perda trágica de entes queridos. Essas pessoas também são vítimas do crime da Vale. Além de tudo, a Companhia deve ser responsabilizada pela dor dessas pessoas traumatizadas, duramente atingidas pela tragédia.

São Paulo, 16 de março de 2019.

O Comitê Central do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).