2° turno: ampliar e consolidar a vitória das forças progressistas

O segundo turno das eleições, já em andamento, em 44 destacadas cidades brasileiras, entre as quais São Paulo – a mais importante metrópole do país –, reveste-se de grande importância. Juntas, estas cidades possuem 27,3 milhões de eleitores, o que representa 22,8% do eleitorado do país. Os resultados de 31 de outubro, pela dimensão do eleitorado e expressão simbólica desse conjunto de cidades, em última instância, definirão a resultante política das eleições municipais de 2004.

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB), integrante do campo de forças políticas lideradas pelo presidente Lula, participou ativamente, em todo o país, do primeiro turno das eleições municipais. Obteve, conforme já assinalado pelo Secretariado Nacional em nota pública (recentemente divulgada), um resultado positivo, fruto de uma grande campanha realizada. Este êxito se deu no âmbito da significativa vitória conquistada pelas forças do governo Lula.

Agora, tendo em vista a fase final do pleito, apresenta as diretrizes que irão reger sua participação.

Primeiro. Nos municípios onde o PCdoB já integrava coligações que lograram o êxito de disputar o segundo turno, os comunistas contribuirão para ampliar e reforçar o apoio, buscando a vitória final dos candidatos destas coligações.

Segundo. No caso de candidaturas que o Partido não apoiou no primeiro turno, mas que os partidos que as lançaram integram o campo político do governo Lula, o PCdoB agirá para construir o apoio a elas, levando em conta a nova polarização instaurada entre o campo das forças do governo e o campo da oposição conservadora.

Terceiro. Em situações especiais em que os dois concorrentes são candidaturas de oposição ao governo federal ou de partidos não integrantes do campo governista, a direção nacional examinará cada caso com as direções locais. O apoio, nesta situação singular, se for conveniente, terá como referência a candidatura que mais se aproxime dos interesses do campo do governo e/ou represente avanços democráticos para a cidade.

Dada a importância já ressaltada deste segundo turno, o PCdoB conclama o coletivo partidário e o conjunto das forças progressistas a se empenharem de forma redobrada para que a vitória obtida no primeiro turno pelas forças do campo progressista se consolide e se amplie.

Derrotar a oposição conservadora – em especial o PSDB – eleger os prefeitos progressistas nas cidades onde há segundo turno, com certeza, além de assegurar administrações democráticas em cada um desses municípios, melhorará as condições políticas para que o governo Lula continue a realizar as mudanças que o país precisa.

São Paulo, 8 de outubro de 2004.
A Comissão Política Nacional do PCdoB