Brasil, domingo, 30 de abril de 2017
Fundação Maurício Grabois
Classe Operária
  • Classe Operária
NÚMEROS ANTERIORES
Por ano Linha do tempo por década
1950

26/3/1953, começa a Greve dos 300 Mil em S. Paulo. Iniciativa dos têxteis, é dirigida pelo Partido (através de quadros como Ângelo Arroio), apóia-se em comitês de empresa e num Comitê Intersindical de Greve. Dura 1 mês, ganha as ruas, enfrenta a polícia, triunfa e renova o quadro sindical. O Partido lidera outras grandes greves (1954, 1957), lutas camponesas armadas (Porecatu, PR, 1951, Francisco Beltrão, PR, 1957, Trompas e Formoso, GO, 1954). Mesmo ilegal, finca fortes raízes de massas, que a guinada oportunista de 1958 irá comprometer.

3/10/1953, vitória de O Petróleo é Nosso. Sancionada a Lei 2004 (Eusébio Rocha), que cria o monopólio estatal do petróleo, confiado à Petrobrás. Coroa com vários anos de uma campanha que mobiliza o povo e enfrenta com êxito as forças entreguistas. Destaca-se nesta luta a participação comunista, em aliança com a juventude e militares nacionalistas.







24/8/1954, suicídio de Vargas, com tiro de revólver no peito, no Catete, Rio. O rádio irradia sua Carta-Testamento: "Esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém". Imenso protesto popular espontâneo toma as ruas das principais cidades do país. Culpa os EUA pela morte, ataca sedes da UDN e da imprensa de direita. O Partido, que mantinha intransigente oposição a Getúlio, é obrigado a rever às pressas sua postura.

14-25/2/1956, 20º Congresso do PCUS, marco da onda revisionista e da cisão no movimento comunista mundial. Kruschev ataca Stálin no informe secreto e propõe guinada à direita com a linha das "3 pacíficas" (coexistência, emulação, transição). No Brasil, o Partido resiste no início, mas em 1958 a ala oportunista do CC obtém a adesão de Prestes e impõe sua linha com a Declaração de Março. É uma fase de aguda luta interna, onde se temperam e se aprofundam as convicções revolucionárias dos comunistas que não aceitam a guinada à direita.

1/1/1959, triunfa a Revolução Cubana. Os combatentes de Fidel Castro entram em Havana, 3 anos após o desembarque do Granma e o início da guerrilha na Sierra Maestra. Cuba revolucionária resiste às agressões dos EUA e envereda pela via socialista. Imensa repercussão no Brasil e em toda a América Latina. Reforço do sentimento antiimperialista.

  •  
Acessar área filiado Recadastro